GP do Azerbaijão: Os humilhados serão exaltados

Se tem uma frase que pode definir o pódio do GP do Azerbaijão é: “Os humilhados serão exaltados”. A corrida às margens do Mar Cáspio proporcionou a redenção de três pilotos: Sebastian Vettel, Pierre Gasly e Sergio Pérez.


Foto: Fórmula 1

Do inferno ao céu


Com certeza, a maior surpresa entres os três primeiros foi Sebastian Vettel, o alemão conseguiu ganhar incríveis nove posições e subir ao pódio novamente, algo que não acontecia desde o GP da Turquia de 2020. O tetracampeão vem sofrendo com os resultados desde que bateu na Alemanha em 2018; somado a um 2020 terrível na Ferrari e um início de temporada tímido na Aston Martin, era a hora da redenção de Vettel.


Depois de chegar em quinto no GP de Mônaco e ser considerado o piloto do dia- o que se repetiu em Baku- o alemão dava uma leve esperança para Aston Martin. No entanto, ao ficar fora do Q3 por 0.3s, ninguém contava com uma atuação extraordinária do tetracampeão que largava em P11.


Bastou o apagar das luzes para Vettel começar o caminho da redenção. Logo na primeira volta já ganhou as posições de Valtteri Bottas e Lando Norris. Depois foi a vez de passar o bicampeão Fernando Alonso e se estabelecer em P8. Com as entradas nos boxes do pelotão da frente, Vettel na volta 14 era líder. Quando chegou sua vez de fazer o pit stop para colocar o pneu duro voltou em P7.


Vettel P1 para nos boxes e volta em P7 (Foto: Aston Martin)

Após o companheiro de equipe Lance Stroll bater feio no muro, o alemão foi para P6. Na relargada ultrapassou Charles Leclerc e em seguida Pierre Gasly. Com o acidente de Verstappen e a atrapalhada de Hamilton, o alemão foi de P4 para P2, passando assim do inferno ao céu na Fórmula 1.



Superação atrás de superação


Pierre Gasly é marcado por um rebaixamento da Red Bull para AlphaTauri, em 2019. Desde lá, o piloto vem se recuperando e mostrando todo seu talento. No Azerbaijão, o francês teve seu melhor fim de semana da temporada.


No terceiro treino livre foi P1 marcando 1:42.251, e na classificação conquistou o quarto lugar no grid, melhor posição de largada da sua carreira.


Na primeira volta, Pierre perdeu sua posição para Pérez. Quando Leclerc foi pros boxes voltou a ser P4. Na volta 12, quando fez o pit stop, voltou em P6. Na relargada da corrida, depois da batida de Stroll, Pierre Gasly tentou se defender de Vettel, mas não conseguiu segurar a quinta posição. Após os acontecimentos com Verstappen e Hamilton, Gasly assumiu o terceiro lugar e ainda se defendeu muito bem de Leclerc na última volta.


Gasly disputa terceiro lugar com Leclerc (Foto: Reprodução/F1)

O mexicano tá on


Sergio Pérez vem tendo altos e baixos na Red Bull, foi inclusive muito criticado por não ser o piloto de apoio para Max Verstappen. Porém, nesse fim de semana em Baku, o mexicano mostrou que pode sim contribuir para a equipe no campeonato.


Na largada, passou o quarto colocado, Pierre Gasly. Na oitava volta com a asa aberta ultrapassou Leclerc, ficando assim em P3. Assumiu a liderança quando seu companheiro de equipe e Lewis Hamilton pararam nos boxes. Quando fez seu pit stop retornou em P3.


Ao que tudo indicava, Pérez ficaria na terceira colocação mesmo, mas a Fórmula 1 é cheia de surpresas. No fim da corrida, na volta 47, Max Verstappen teve problemas com o pneu traseiro esquerdo e bateu no muro. Quando a corrida teve início novamente, Lewis Hamilton passou reto para a área de escape. Resultado: Pérez campeão do GP do Azerbaijão e mostrando que “tá on” para Red Bull.


Pérez sai de Baku como campeão e terceiro lugar no campeonato (Foto: Instagram/ Red Bull)